FAQ

   É o nome genérico dado a qualquer serviço de saúde realizado no domicílio do paciente por profissional habilitado nessa área. Divide-se em dois tipos característicos:  Atendimento Domiciliar e Internação Domiciliar. Atendimento Domiciliar –  Visita ou procedimento, isolado ou periódico, realizado no domicílio do paciente por profissional habilitado na área da saúde. Pode-se entender como alternativa ao atendimento ambulatorial, prestado a paciente que não necessite de hospitalização.

Internação Domiciliar – Serviço prestado no domicílio do paciente, em substituição ou alternativo à hospitalização, por equipe técnica habilitada e multiprofissional, da área da saúde, contando com estrutura de apoio. Deve estar integrado a um programa específico com essa finalidade, sendo realizado por instituição médica de assistência domiciliar e, obrigatoriamente, coordenada e supervisionada por médico, além de registrada no Conselho Regional de Medicina.

   É a pessoa designada pelo paciente ou pela sua família para auxiliá-lo durante a assistência domiciliar, podendo ou não ser um familiar. Será o responsável pelo paciente, responsável para trocas de informações com os profissionais da equipe de assistência domiciliar e destes recebendo o adequado treinamento para os cuidados básicos necessários ao doente, conforme o plano terapêutico inicial.

   É o médico que já acompanhava o caso do paciente, ambulatorialmente ou em sua hospitalização, antes da Assistência Domiciliar.

   É o médico designado pelo corpo clínico da instituição prestadora de assistência domiciliar responsável pelo gerenciamento do caso, profissional que realiza visitas periódicas no domicílio, auxiliando ou substituindo o médico assistente, quando necessário.

   É a estratégia de tratamento domiciliar ao paciente, considerando suas necessidades clínicas, treinamento do cuidador, tempo de duração da assistência, programação de “desmame” e alta, além de estabelecer as competências entre equipe e paciente/família.

   É a redução gradual da estrutura disponibilizada na assistência domiciliar, de acordo com a evolução do plano terapêutico previamente acordado, até a alta.

   São os cuidados necessários para a manutenção da qualidade de vida, higiene, alimentação e conforto do paciente, procedimentos que podem ser ensinado aos cuidadores e familiares leigos e profissionais contratados pelos familiares.

 

 

 

 

 

 

Close

Reunião Mensal – Abril 30/05/2018